terça-feira, 17 de maio de 2011

Condenação dos pilotos do Legacy e a (in) justiça no Brasil

Estive acompanhando ontem nas noticias sobre a condenação dos pilotos americanos do jato legacy que abateu o avião da Gol alguns anos atrás.

Acompanhei também os comentários de revolta abaixo das notícias, principalmente no terra.com.br a respeito.

De modo geral, as pessoas estavam criticando a condenação em regime aberto com prestação de pena alternativa.

Em meu ponto de vista, tenho duas opniões a respeito.

Primeira: acredito que a sentença foi uma forma de não gerar um maior clima de impotência contra os americanos, pois de que adiantaria condená-los a 5, 10 ou mesmo 30 anos de prisão? Os pilotos não estão em solo brasileiro e jamais o governo americano vai deportá-los para que cumpram pena por aqui. Da mesma forma que se ocorresse em situação oposta, o governo brasileiro não deporta seus cidadãos para qualquer lugar que seja.

Segunda: a pena proposta é igual as impostas para crimes que ocorrem no país. Exemplo, o que ocorre com os motoristas bêbados que matam famílias inteiras? Quanto tempo ficou preso o filho do ex-prefeito de Balneário Camboriú, o tal do Lucas Spernau? Inúmeros outros casos, qual a pena aplicada?

Em resumo, os pilotos do jato Legacy receberam a pena igual as aplicadas por aqui:
motorista brasileiro - pena - nenhuma.
Pilotos do Legacy - pena igual a dos brasileiros x 148 vítimas = nenhuma pena a ser cumprida.

O que ainda não entendo no Brasil é todo o sensacionalismo feito em acidentes aéreos. Nos últimos 5 anos poucas centenas de pessoas perderam a vida voando no Brasil, sendo este número muito menor do que o número de vítimas que o transito brasileiro faz todos os dias. Onde está a condenação por estes crimes no transito?

Muitos destes acidentes ocorrem por negligência dos motoristas em respeitar as leis de transito, em abusar do alcool ou mesmo por pura distração e em nenhum dos casos vemos condenação.

Qual a diferença? Que cálculo que se usa para quem mata 1, 10 ou 20 num acidente de transito ou quem mata 100 ou 200 num acidente aéreo??

Se querem condenação dos estrangeiros, que primeiro o governo condene os locais, afinal a lei é para todos.

Muitos de vocês devem ter lido sobre a prisão de um diretor do FMI por uma situação ainda não muito bem explicada de tentativa de estupro ou assédio sexual, porém o mesmo foi preso e algemado e levado para a corte e posteriormente a Ilha Rikers, prisão famosa no seriado Law and Order da Universal.

Por este motivo acho ridículo (minha opnião, quem quiser discordar, fique a vontade) criticar o tratamento dado aos estrangeiros no Brasil aos americanos. Por lá, independente de ser rico ou pobre, camelô ou dono de banco, o Joaozinho da esquina ou Mike Tyson, quem faz algo errado é preso. Então repito, não digo que os pilotos não deveriam ser presos, mas o cumprimento das penas deveriam começar por aqui.

Outro motivo, por que nao prender também os administradores do sistema aéreo no Brasil? Diretores da Infraero, altas patentes da aeronautica entre outros? Certamente, como em todas as esferas da administração pública brasileira, há grande desvios de verbas que, se estas verbas fossem aplicadas de forma correta todo o espaço aéreo estaria coberto com segurança.

148 pessoas foram mortas no acidente e querem prender os pilotos, por que então não prender os secretários de saúde dos municípios e estados pelo desvio de verbas que deveriam ser aplicadas em contratação de médicos, enfermeiros, compra de equipamentos para exames diversos, construção de hospitais e postos de saúde? Falando em postos de saúde, por que não prender também os responsáveis pelo superfaturamento destas obras, incluindo os administradores e também os construtores e empreiteiros?

Ainda falta muito para acontecer uma melhora no Brasil e não será prendendo dois pilotos que nossa vida ou senso de justiça irá melhorar.

abraço

Nenhum comentário:

Postar um comentário