terça-feira, 28 de junho de 2011

Mini tutorial GPICSYNC - usando seu Garmin Nuvi para geo-referenciar fotos!

Acredito que quase todos que usam internet já deram uma passada pelo Google Earth, Google Maps, Panoramio, Flickr, entre outros sites com fotos.

Nestes sites é possível ver fotos de vários lugares, geralmente sobrepostas no mapa onde foram tiradas.

Geralmente quando tenho um tempo livre, sem nada pra fazer, dou uma passeada em alguns lugares interessantes.

Comecei a usar o Flickr em 2007 quando viajei pra Nova Iorque, na época para mostrar as fotos para minha família e amigos que estavam no Brasil. Nesta época também, nunca tinha ouvido falar em geotag, geotaggin ou ainda geo-referenciamento em português. Depois passei a usar o Panoramio (http://www.panoramio.com/user/266748) mapeando as fotos de forma manual, ou seja, fazendo o upload e selecionando no mapa o lugar onde foi tirada. Obviamente desta forma a foto não fica posicionada de maneira exata, mas o mais próximo possível de acordo com a lembrança do local. Em lugares conhecidos e familiares, como a sua cidade, essa função é extremamente fácil, mas em lugares desconhecidos ou que vamos frequentamos poucas vezes pode se tornar bastante complicado encontrar o local exato onde você tirou determinada foto.

Para quem não sabe o geotag ou geo-referenciamento é uma forma de colocar as informações de latitude e longitude (e altitude em alguns casos) no arquivo exif da foto de forma que esta possa ser visualizada em um mapa no local onde foi tirada. Isso facilita bastante na hora de rever as fotos de uma viagem, passeio ou até mesmo para o trabalho.

Depois que conheci o geotag através do próprio panorâmio que sempre sorteia aparelhos de gps específicos para fazer geotag, comecei a pesquisar sobre o assunto e me interessar cada vez mais.

Em 2008 comprei meu primeiro navegador gps, um Nuvi 760 da Garmin. É um gps comum para usar no carro mas depois de algum tempo acabei descobrindo que poderia usá-lo para geo-referenciar minhas fotos, então passei a pesquisar sobre como fazer isso funcionar.

Descobri então o programa GPICSYNC que acredito ser um projeto da GOOGLE.

Bom, meu gps, o Nuiv 760, grava em sua memória um log (Current.gpx) dos locais por onde passei. Grava os horários, com intervalos de alguns segundos, latitude, longitude e altitude. Este arquivo que é a peça chave para fazer o geo-referenciamento através do Gpicsync.

Vale lembrar que para funcionar corretamente é necessário configurar o horário de sua máquina fotográfica com o horário UTC (Universal Time Coordinated). No meu caso, como moro no Brasil, horário de Brasília, que possui o horário UTC em -3 horas fiz da seguinte forma: Exemplo, horário local 18 horas, vai colocar o horário de sua máquina como 21 horas. Desta forma, independente de onde você estiver viajando, sua câmera vai estar com o horário configurado com o do GPS. Outra forma e deixar a camera no horário local e fazer este procedimento no próprio GPICSYNC no menu OPTIONS e depois em "Local time correction".

IMPORTANTE - certifique-se de que os minutos mostrados no gps batem com o de sua câmera. Se houver diferença de apenas alguns minutos já poderá estragar seu log.

GPS e máquina fotográfica configurados, é hora de ir pra rua fotografar. Enquanto estiver fotografando deixe seu gps ligado no bolso para que ele possa gravar os dados de onde você estiver.

Agora que você já tem as fotos e os dados do gps faça o seguinte:

1 - Copie as fotos da máquina para uma pasta em seu computador;
(eu uso, por opção a pasta GPS dentro da pasta imagens - C:\Users\Usuário\Pictures\GPS)

2 - Copie o arquivo Current.gpx que está no gps para a mesma pasta que você copiou as fotos. No meu gps este arquivo fica na pasta X:\Garmin\GPX\Current.gpx;

3 - Abra o gpicsync;

4 - No botão Pictures folder selecione a pasta que você copiou as fotos;

5 - No botão GPS file selecione a pasta que você copiou o arquivo current.gpx;

6 - Considerando que tudo foi feito corretamente até aqui, clique em Synchronise ! e aguarde.

Você verá uma listagem das fotos que estão sendo analisadas e geo-referenciadas de acordo com seu log:


Nesta listagem vai mostrar também as fotos que não bateram com o log e apresentaram algum erro, por exemplo, as que estavam com mais de 300 segundos de diferença entre o horário do gps e o horário da câmera fotográfica.

(você pode selecionar uma margem de tolerância acima de 300 segundos, porém vai prejudicar a confiabilidade do geo-referenciamento de suas fotos).

Ao final o programa vai mostrar a opção de visualizar estas fotos no google earth. O Gpicsync também irá gravar uma pasta com as fotos originais para caso haja algum problema ou você simplesmente queira ter as originais por qualquer motivo.

Depois disto você pode usar estas fotos da forma que você achar melhor. Eu gosto de fazer upload no Panorâmio, que serão analisadas e se aprovadas mostradas no Google Earth.

Espero ter sido claro, caso tenham dúvida, favor postar nos comentários.

Abraço

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Hotel Fazenda de Bombas

Aproveitamos o feriado do aniversário de Itajaí (15 de junho) para passar um dia em família em um hotel fazenda para sair da rotina.

A ideia inicial era de passarmos o dia no Fazzenda Park Hotel (day use R$ 113,00 por pessoa), porém boa parte da população de Itajaí teve a mesma ideia e quando tentamos reservar o hotel estava lotado.

Procurando em alguns sites, acabamos reservando em Bombinhas - SC no Hotel Fazenda de Bombas.

Chegamos no hotel por volta das 10 horas da manhã e fomos recepcionados com café da manhã, contendo pães, bolos, frutas, geleias caseiras e um delicioso suco de laranja.

Quem nos prestou todo atendimento durante o dia foi o sr Manoel, caseiro da propriedade e a sra Alice, que não sei sua função, mas ela que fazia todo contato conosco sobre as refeições, horários e instalações do hotel. Ambos muito prestativos e atenciosos.

Como o hotel estava vazio, o hotel era praticamente nosso e pudemos desfrutar de tudo sem incomodação de outros hóspedes.

Apesar de ser um hotel fazenda, no local não há cavalos nem outros animais, o que fez um pouco de falta, contudo as demais instalações foram suficientes para aproveitar o tempo disponível.

Falando em instalações, o hotel dispoe de sala de jogos, com tabuleiro para dominó (quem é viciado em dominó aprecia bastante), mesas de ping-pong, sinuca e pebolim. Possui ainda diversas churrasqueiras cobertas espalhadas pelo área do hotel, duas quadras de voley de saibro, cancha de futebol suiço, um grande lago (10.000m²) com pedalinhos, uma piscina adulto e outra para crianças.

O hotel não possui a estrutura do Fazzenda Park Hotel em Gaspar, porém com sua simplicidade foi mais do que suficiente para um excelente dia em família.

Uma grande vantagem do Hotel Fazenda de Bombas sobre o Fazzenda de Gaspar é a atenção por parte dos funcionários. Já faz algum tempo que não vou ao Fazzenda, porém tenho certeza que devido ao tamanho do hotel e quantidade de hóspedes, estes passem despercebidos, enquanto isso em Bombinhas recebe total atenção do staff, pois trata-se de um hotel de menor porte. Pretendo ir logo no Fazzenda então posto aqui sobre este assunto.

Abraço









segunda-feira, 6 de junho de 2011

Trata-se igualdade racial criando desigualdade?

Hoje tomei um baque ao ler em alguns sites sobre a criação de vagas para negros e índios em concursos públicos.

A principal alegação é para "evitar o preconceito".

Realmente não consigo acompanhar a lógica das cotas para negros, indios, brancos, etc. Talvez porque eu tenha estudado em escola pública, não cheguei ao nível de inteligência dos caros políticos que criaram estas cotas.

Em meu ponto de vista e com todo o respeito por quem é a favor das cotas, esta é a maior forma de preconceito que possa existir contra qualquer cidadão, seja ele branco, preto, índio, mestiço, cristão, católico ou qualquer outra denominação que exista para qualquer pessoa.

Gostaria de saber se há algum estudo científico comprovando que os negros tem menos habilidade intelectual, inteligência, quantidade de neurônios ou coisa parecida.

Com os sistemas de cotas estão menosprezando a inteligência dos negros, é como se os nobres políticos dissessem: vocês são burros e não tem capacidade de passar em um vestibular ou um concurso público, por isso vamos dar 20% das vagas para vocês para ficarem contentes, em troca, vocês vão votar em nós nas próximas eleições.

Sou extremamente contra qualquer tipo de discriminação, seja ela racial, religiosa, econômica ou qualquer que seja e infelizmente estão criando leis para que a discriminação aumente.

Acredito que todos conheçam o ministro Joaquim Barbosa, primeiro ministro negro a tomar posse no STF, não sei se o mesmo possui filhos ou não, mas apenas como exemplo, seus filhos, que sempre tiveram acesso a excelentes escolas, professores, eventos culturais, etc, porque esses tem direito a cota para universidade ou concurso público? Notem que apenas citei um negro ilustre como exemplo, pois assim como o excelentíssimo ministro há muitos outros negros em posições importantes no Brasil, ocupando cadeiras no serviço público, como juizes, prefeitos, deputados, procuradores, conselheiros etc, bem como na iniciativa privada, na presidência de empresas, diretores, acionistas, profissionais liberais como médicos, advogados, entre outros, todos com condições de dar o melhor aos seus filhos, escolas e professores particulares, estes também vão entrar no sistema de cotas?

Será que apenas eu consigo ver alguma incoerência neste assunto?

Querem cotas, OK, façam, porém de forma justa. Por que não fazer cotas para alunos de escolas públicas, independente de serem brancos, amarelos ou negros? Por que não fazer cotas para crianças de baixa renda? Por que não criar vagas para que jovens que moram nas ruas possam ter um local para morar e a chance de estudar? Sabem porque? Porque criar vagas para negros rende mais votos, apenas isso!

Não tenho vergonha de dizer, eu mesmo, estudei toda minha vida (com exceção do 1º ano do primário) em escola pública. Todo ano tinha greve em minha escola, professores pediam demissão, alguns faltavam mais do que compareciam ao colégio, a professora de inglês não sabia falar inglês, entre outras aberrações. Apenas para terem idéia, no terceirão, que deveria ser uma preparação para o vestibular, ficamos mais da metade do ano sem professor de física e química. Como poderia competir no vestibular desta forma?

Engana-se quem pensa que negro ainda é minoria no Brasil, de acordo com alguns sites, a porcentagem de negros no Brasil fica entre 40 e 50%. Então me pergunto, se ainda vão fazer cotas, por que não reservar de 40 a 50% das vagas, já que a população é assim representada? Não deveria ser proporcional?

Reafirmo que sou contra as cotas, pois em meu ponto de vista é uma forma de discriminação legalizada contra os negros, agora, posso estar enganado, mas em minha matemática de ensino público, se os negros são aproximadamente 45% da população brasileira, a partir do momento que o governo diz "20% das vagas são para vocês" o que está acontecendo? Estão beneficiando os negros ou estão dizendo: Somente 20% vocês poderão ocupar, 80% das vagas permanecerão com os brancos!

Pensem, reflitam onde está o verdadeiro racismo, na população ou no congresso?

Abraço